Arquivo da categoria: Antes de Engravidar

Problemas de Fertilidade – Erros que você deve evitar

Compartilha:

Normalmente quando o casal se prepara para ter um filho, eles tendem a ficar ansiosos quando o bebê não chega naturalmente em alguns meses. Mas calma, antes de pensar que você tem problemas de fertilidade, confira aqui algumas dicas para aumentar as suas chances de engravidar.

fertilidade

Não se estresse

Você provavelmente tem pelo menos uma amiga que, ao ficar grávida, disse: “Eu só fiquei grávida quando eu parei de me preocupar com isso”. É chato ouvir, especialmente quando tudo o que você mais quer é engravidar, e nada parece estar funcionando. Mas muitas vezes é verdade. O estresse pode ser um grande problema quando se está tentando engravidar. Quando você está estressada, você libera uma quantidade grande de cortisol (o hormônio do estresse), que pode afetar negativamente a ovulação e a fertilidade.

Aumente suas chances de engravidar se divertindo com o seu parceiro

Por mais óbvio que essa dica possa parecer, muitas mulheres acabam esquecendo que a maneira mais simples de aumentar as chances de engravidar é justamente se divertindo mais. Procure manter relações diariamente ou de dois em dois dias durante o seu período fértil. Mas calma, uma vez por dia ou a cada dois dias é suficiente, caso contrário você pode prejudicar a contagem de esperma do seu parceiro.

Duchas e lubrificantes podem diminuir as chances de engravidar

A ducha pode agir como um espermicida, alterando o PH da sua vagina, o que pode reduzir a fertilidade. Os lubrificantes vaginais também, pois foi que ele não só baixa contagem de espermatozóides como também diminuem a mobilidade dos que restam.

Não se culpe

Quando falamos de infertilidade, normalmente se pergunta se o “problema” é com a mulher. Na verdade os casos de infertilidade são cerca de 40 por cento relacionados com o homem, 40 por cento por conta da mulher e 20 por cento de uma combinação de ambos os parceiros. Muitas vezes, a futura mãe corre para ver o seu médico ao primeiro sinal de que não está conseguindo engravidar. Essa não é uma atitude muito interessante, pois aumenta a ansiedade do casal. É importante lembrar que normalmente leva de 6 meses a 1 ano para um casal saudável engravidar, após a mulher deixar os contraceptivos de lado. Se ainda tiver problemas para engravidar, existem diversos tratamentos muito modernos e que aumentam muito as chances de fertilização, para conhecer mais sobre esses tratamentos de fertilização, leia aqui.

Compartilha:
contrações braxton hicks

Ovulação – O que é e porque ela é importante na Gravidez

Compartilha:

Se você está pensando em engravidar, já falou com o seu médico ou está apenas pesquisando sobre o assunto, já deve ter ouvido falar da ovulação. Confira aqui tudo que você precisa saber sobre ela.

ovulação e gravidez

O que é a ovulação?

A cada mês, o seu corpo se prepara para uma possível gravidez, liberando hormônio folículo-estimulante (FSH). Esse hormônio faz com que os óvulos amadureçam nos folículos individuais localizados nos ovários. Cada folículo produz estrogênio, outro hormônio, que deve atingir um certo nível para que ocorra a ovulação. Quando estrogênio suficiente foi produzido – geralmente de 12 a 18 dias após o início do ciclo menstrual – um óvulo amadurecido, menor que a cabeça de um alfinete, explode a partir do folículo mais maduro. A libertação do óvulo é conhecida como ovulação.

O acúmulo de estrogênio nos folículos estimula a produção de um terceiro hormônio, o hormônio luteinizante (LH). Dentro de 24 horas do pico de LH, o óvulo emerge de seu folículo e é imediatamente arrastado para as trompas de falópio. Enquanto isso, o folículo vazio – agora chamado corpo lúteo – começa a produzir ainda um outro hormônio, a progesterona, que impede a libertação de outros óvulos duração o ciclo fértil.

Posso saber quando estou ovulando?

Cerca de um quinto de todas as mulheres experimentam dor abdominal inferior, também chamada de mittelschmerz, quando ocorre a ovulação. Desconforto nos seios também é comum. A maioria das mulheres têm um corrimento vaginal que é claro e um pouco elástico nos dias que antecedem a ovulação.

Mas se você não apresenta nenhum desses sinais ou quer saber com precisão quando está ovulando, você pode usar um kit de previsão de ovulação. Existem diversos kits no mercado e eles tem como finalidade detectar o pico de LH que ocorre antes da liberação do óvulo, eles são vendidos em farmácias e tem diversos preços, de R$3 a R$30, e são conhecidos como testes de ovulação. O teste de ovulação pode ser feito como o teste de gravidez, através da urina, ou ainda de maneira mais fácil, através da coleta da saliva, dependendo do modelo de teste que você comprar.

Você também pode usar a tabela de gravidez – bastante similar a famosa “tabelinha”, a tabela para engravidar ajuda a mulher a marcar o seu período fértil.

Os testes de ovulação também são muito importantes para casais que tem problemas de gravidez, pois sabendo o período fértil corretamente, podem manter relações sexuais programadas, que aumentam a chance de uma gravidez.

O que acontece com o óvulo após a ovulação?

Depende se ocorre ou não a fertilização. Se o óvulo é fertilizado, ele vai passar a próxima semana viajando através das trompas de falópio para o útero, conforme você pode conferir nas primeiras semanas do ciclo da gestação. Após ir para o útero, o óvulo irá se fixar e nos próximos meses irá se desenvolver até um lindo bebêzinho.

Se o óvulo não for fertilizado, ele irá se desfazer cerca de 12 a 24 horas após o seu lançamento, ser reabsorvido pelo corpo da mulher ou ser expelido através do fluxo menstrual.

Compartilha:

Gravidez de Risco – Tudo que você precisa saber

Compartilha:

É considerada uma gravidez de risco toda gravidez que pode acarretar em perigo de vida para mãe ou para o bebê. Esse tipo de gravidez ocorre pouquíssimas vezes, variando a uma taxa de 0.10 a 0.30 na população, mais frequente antes dos 18 anos e após os 35. Mulheres que possuem doenças crônicas também são candidatas fortes a uma gravidez de risco.

Em uma gravidez normal o pré natal é necessário. Mas os exames pré natal se tornam ainda mais importante e até mesmo essencial quando a gravidez é de risco. Por isso, assim que descobrir que está grávida, já marque a primeira visita com o seu obstetra.

Causas da Gravidez de Risco

A gravidez de risco pode ocorrer em qualquer fase da vida fértil da mulher, mas em algumas fases existem motivos bem definidos para essa condição:

Gravidez antes dos 18 anos

A gravidez que ocorre aos 18 anos ou menos podem representar um perigo para a mamãe e o bebê. Normalmente o corpo da mãe ainda não está maduro o suficiente para o bebê.

Como sabemos, durante a gravidez o corpo da mãe passa por uma série de transformações: a barriga cresce, a placenta passa nutrientes para o bebê durante o seu desenvolvimento, os hormônios ficam uma loucura. Quando o corpo da mamãe ainda não está maduro o suficiente, essas transformações podem ser penosas.

Nessa idade também é comum que a alimentação não seja a mais completa, o que pode levar a complicações durante o desenvolvimento do bebê. Alguns exemplos: anemia, falta de cálcio, falta de ácido fólico, etc.

Gravidez após os 35 anos

Não é incomum as mulheres considerarem uma gravidez após os 35 anos – crescer na profissão, comprar uma casa, ter uma vida financeira estável estão entre os principais motivos de um adiamento de uma gravidez.

Entretanto, após os 35 anos a fertilidade não é mais a mesma e os anos podem ter bagagens a acrescentar: hipertensão, diabetes, anemia entre outras doenças. Por isso, se você tem vontade de engravidar depois de se estabelecer, é interessante ter um cuidado redobrado com a saúde e alimentação enquanto a sua hora não chega. Afinal de contas, a gravidez será mais simples se você estiver com a saúde em dia.

Também não é incomum a necessidade de realizar tratamentos para fertilização quando a gravidez é pretendida em uma idade mais avançada.

Doenças Crônicas

Segue abaixo a relação de algumas doenças crônicas que podem levar a uma gravidez de risco:

Talassemia (anemia mediterrânea): Essa doença é genética e mulheres com essa condição precisam de suplementos durante a gravidez.

Asma: A asma é uma doença que pode diminuir a capacidade respiratória, causando falta de ar. Durante a gravidez a mulher precisa de mais oxigênio e essa condição pode piorar. Aliás, quando a mulher sofre de asma crônica, essa condição pode levar ao parto prematuro ou a restrição de crescimento da criança.

Problemas de coração: Durante a gravidez o ritmo de batimentos cardíacos chega a aumentar até 20% – esse aumento é necessário pelo aumento de sangue circulando no corpo da mãe e do bebê. Se a mãe já possui alguma doença cardíaca ou qualquer problema ainda não descoberto, a gravidez pode intensificá-lo.

Problemas de tiróide: Os hormônios produzidos pela tireóide controlam diretamente o metabolismo. Quando essa glândula não funciona devidamente, podem ocorrer duas condições: o hipotireoidismo e o hipertireoidismo. Entretanto, os remédios que controlam essas doenças podem passar através da placenta para o bebê, podendo causar problemas na glândula do bebê. Portanto, durante a gravidez, a dosagem dos medicamentos deve ser prescrita pelo obstetra.

AIDS: Quando a mãe possui essa doença, o bebê pode a contrair durante o parto, mas não durante a gestação. Por esse motivo, a mãe deve tomar remédios antes do parto (para reduzir a possibilidade de infecção da criança). Também são necessários cuidados especiais durante a amamentação.

Compartilha:
tabelinha da fertilidade

Tudo que você precisa saber sobre a Tabela para Engravidar

Compartilha:

A tabelinha para engravidar é muito parecida com o método da tabelinha para não engravidar, pois segue os mesmos princípios básicos: marcando o período de menstruação, o período fértil e o infértil. Só que, ao contrário da tabelinha para não engravidar, você está interessada em saber o seu período fértil.

Confira abaixo o passo a passo sobre como usar a tabela da fertilidade.

tabelinha da fertilidade

Como usar a Tabelinha da Fertilidade

Em primeiro lugar, marque no calendário o início e o final de sua menstruação. É esse período que vai te ajudar a encontrar o seu período fértil e o infértil. Outro número bastante importante que você precisa saber é o número de dias do seu período, pois você irá dividi-lo por dois e somar ao primeiro dia da menstruação – dessa maneira você encontra o meio do período fértil, sendo que o período mais fértil é entre dois dias antes e depois da data que você encontrou.

Por exemplo, vamos supor que você tem um ciclo de 28 dias e que você menstruou no dia primeiro. Então, entre os dias 12 e 16 é o seu período mais fértil.

O Método da Tabelinha para Engravidar funciona?

Assim como a tabela para não engravidar, a tabelinha para engravidar também é mais interessante para mulheres que tem um ciclo menstrual mais regular. Quando o ciclo menstrual é muito irregular, é complicado encontrar o período fértil.

Testes de Ovulação de Farmácia

Outra maneira de descobrir se você está ou não o seu período fértil é através dos testes de ovulação. Esses testes são super simples de fazer e funcionam muito bem.

Compartilha: