Arquivo da categoria: Educação

Livro: Crianças francesas não fazem manha

Compartilha:

Os segredos parisienses na arte de criar filhos

Pois é, criar os filhos não é só problema no Brasil, e um livro tem feito muito sucesso internacional.

Crianças francesas não fazem manha – Os segredos parisienses na arte de criar filhos – da Editora Fontanar, conta de forma divertida como uma jornalista americana ficou surpresa ao se deparar com as diferenças como as crianças francesa são educadas.

criancas-francesas

Ele é super recomendado para mães de primeira viagem, pelas avaliações dos próprios leitores e também tem avaliações de grandes meios de comunicação, como a Revista Cláudia.

“Uma mensagem libertadora para aquelas mães que ainda veem os filhos arremessando batatas fritas.”

É um livro baratinho, e vale à pena ter para ler no final de semana. R$14,90  No Buscapé.

Crianças Francesas Não Fazem Manha – os Segredos Parisienses na Arte de Criar Filhos – Pamela Druckerman

Autor: Pamela Druckerman
Editora: FONTANAR
Ano de Edição: 2013
Nº de Páginas: 272

Ou você pode pesquisar em outras livrarias, de R$12,67 à R$29,90 no Buscapé. (consultado em 18/09/2014)

Compartilha:

5 frases que você nunca deve dizer ao seu filho

Compartilha:

Você provavelmente não irá usar frases como “Espere até seu pai chegar em casa” ou “Gostaria que você fosse mais parecido com seu irmão”, mas existem outras frases que atitudes que devemos evitar com nossos filhos, pois podem prejudicar até mesmo o desenvolvimento de seus valores e personalidade. Confira abaixo 5 frases que você deve evitar.

o-que-nao-falar-para-crianca

Bom trabalho! Parabéns!

Usar frases genéricas como “Boa menina” ou “Muito bem” cada vez que seu filho mostre uma habilidade faz com que ela dependa de sua afirmação, em vez de sua própria motivação. Guarde os elogios para quando eles são realmente merecidos, e seja o mais específico possível. Em vez de “Super jogo”, diga: “Foi uma boa assistência. Eu gosto de como você olhou para o seu companheiro de equipe.”

A prática leva à perfeição

É verdade que quanto mais tempo a criança dedica, mais nítidas suas habilidades se tornarão. No entanto, este ditado pode incutir na criança o sentimento de que elas precisam trabalhar duro para serem perfeitas e as melhores naquilo que fazem – o que pode frustá-las muitas vezes.

Pode ser mais interessante incentivar a criança a dar o seu melhor em suas atividades, incentivando-o a melhorar (e não exatamente a ser perfeito). Ele se sentirá orgulhoso de seu próprio progresso sem se frustrar.

Você está bem

Quando seu filho raspa o joelho e começa a chorar, seu instinto pode ser a tranquilizá-lo de que ele não está muito ferido. Mas dizendo-lhe que ele está bem só pode fazê-lo sentir-se pior.

Seu filho está chorando porque ele não está bem. Seu trabalho é ajudá-lo a entender e lidar com suas emoções, não esquecê-las. Tente dar-lhe um abraço, reconhecendo o que ele está sentindo, dizendo algo como: “Isso foi uma queda assustadora.” Em seguida, perguntar se ele gostaria de um curativo ou um beijo (ou ambos).

Apresse-se!

Seu filho se atrapalhar para comer o seu café da manhã, insiste em amarrar os próprios tênis (mesmo que ele ainda não tenha dominado completamente a técnica ainda), e está a caminho de se atrasar para a escola – de novo.

Mas empurrando-o para começar a se mexer cria um estresse adicional. Suavize o tom levemente, dizendo: “Vamos nos apressar, essa postura envia a mensagem de que vocês dois estão no mesmo time. Você também pode transformar o ato de se preparar para um jogo: “Por que não vamos apostar para ver quem consegue abotoar as calças primeiro?”

Estou em uma dieta

Controlando o seu peso? Mantenha essa informação para si mesmo. Se o seu filho vê você pisar na balança todos os dias e te ouve falar sobre estar “gorda” ou “gordo”, ele pode desenvolver uma imagem corporal não saudável. Outro momento que você deve ficar de olho é na hora das refeições, jamais reclame dos alimentos saudáveis. Ao invés disso, sempre procure passar bons sentimentos ao comer legumes com salada: “Eu estou comendo salada porque gosto do jeito que me sinto após as refeições”, etc. Adote a mesma postura com exercícios. Ao invés de reclamar ou fazer corpo mole, procure falar com alegria sobre seus exercícios.

Conclusão

As crianças aprendem através de exemplos e muitas vezes copiam a atitude dos pais e de quem estiver próximo. Por isso é super importante  pensar no que dizer, falar e até no olhar que fará para a criança, pois ela saberá exatamente como interpretá-lo. Hoje muitos educadores já possuem sites com dicas para ajudar os pais no desenvolvimento saudável de crianças e também livros que podem ser uma ótima fonte de conhecimento e também para consulta. E você, já passa por isso com o seu filho?

Compartilha:

Como fazer o bebê largar a chupeta

Compartilha:

Para muitas crianças, geralmente de 1 a 3 anos de idade, chupar a chupeta ou o dedo é uma forma de relaxar. Por isso muitas delas só conseguem dormir chupando algum desses elementos.

como-tirar-chupeta

Chupeta ou dedo, será que essa é uma prática saudável?

Não, como muitas de vocês já devem saber, o fato da criança chupar chupeta ou bico, e o dedo pode causar problemas graves no desenvolvimento da fala, no crescimento dos dentes e até mesmo infecções de ouvido. Por isso é melhor fazer o seu filho deixar esse mau hábito.

Mas como fazer meu filho largar a chupeta?

Confira a lista de truques e estratégias que preparamos para te ajudar a tirar a chupeta ou o hábito de chupar dedo do seu filho.

  • Crie períodos de uso da chupeta, por exemplo, só nas horas que a criança for dormir, ou só quando estiver passeando de carro.
  • Vá diminuindo os períodos de uso da chupeta gradativamente, para que seu filho não sofra.
  • Restrinja esse período para apenas quando ele for dormir ou quando estiver doente. Nesta etapa vai ser preciso bastante firmeza da mãe, pois a criança vai chorar e pedir muito.
  • Converse com a criança e estabeleça prêmios por, por exemplo, cada semana que ela passar sem chupeta ou sem chupar o dedo.
  • Escolha premiações como passeios, brincadeiras e presentinhos simples – Nunca dê doces ou guloseimas como prêmio, isso pode causar obesidade infantil.
  • Insista em repetir para eles que as crianças mais velhas não usam chupeta e nem ficam com o dedo na boca. Isso serve porque elas adoram se sentir mais velhas, e as crianças aprendem basicamente copiando exemplos.
  • Incentive o seu filho a dar todas as chupetas para alguém, por exemplo ao Papai Noel se for época de natal, ou ao coelhinho da páscoa. E se não houver nenhuma data festiva por perto invente uma, como a “fada da chupeta”.

 Conclusão

Todos os processos com as crianças podem ser mais fáceis ou mais difíceis de acordo com cada criança, mas é importante saber que o uso prolongado da chupeta pode causar sérios danos aos dentes da criança, então lembre-se sempre disso. Hoje existem pais que nem oferecem mais a chupeta para o bebê, impedindo assim que a criança adquira este hábito.

Compartilha:

Obesidade Infantil – Dicas para Obesidade em Crianças

Compartilha:

O seu filho está acima do peso ideal? Saiba mais como descobrir se seu filho tem um problema de peso e como ajudá-lo a atingir um peso saudável.

causas-obesidade-infantil

O que é obesidade?

As crianças que são mais de 20 por cento acima do peso ideal para sua altura e idade particular são considerados obesos. Se uma criança está a mais de 40% acima do peso, geralmente o seu médico irá recomendar um programa de perda de peso guiado pelo seu médico.

Se uma criança ganha peso subitamente ou progressivamente à medida que ela cresce, especialmente durante ou logo antes da puberdade, isso não deve necessariamente ser motivo de alarme. Durante este tempo, a necessidade calórica da criança é bem alta, devido aos estirões de crescimento. O ganho de peso durante essa fase geralmente só problemático quando ele se enquadra na classificação de 20 por cento ou mais acima do peso ideal para altura e idade da criança.

Quais são os riscos da obesidade infantil?

A obesidade infantil pode colocar uma pessoa em risco em muitos problemas médicos graves, incluindo pressão arterial alta, diabetes, câncer, doenças cardíacas, apnéia do sono, osteoartrite e problemas na vesícula biliar.

Além dos riscos médicos, as crianças obesas podem sofrer de baixa auto-estima. Para ajudar as crianças obesas que têm esses problemas, é essencial reforçar a sua auto-estima, ajudando-as a encontrar amigos de suporte que as aceitam como são, e proporcionar o acesso a atividades que gostam e desempenham bem.

Causas da obesidade infantil?

  • Consumir mais calorias do que são gastos
  • A história da família
  • Problemas metabólicos ou hormonais
  • inatividade
  • Excessos ou lanches para lidar com emoções como estresse, depressão, ansiedade e até mesmo a felicidade

O que pode ser feito para tratar a obesidade?

Fale com o seu pediatra, que vai consultar gráficos de crescimento para determinar a faixa de peso alvo mais apropriado para o seu filho. Esta gama ideal vai depender de uma série de fatores, incluindo o sexo de seu filho, idade, altura e estrutura corporal.

Se recomendado pelo pediatra, a criança deve iniciar um programa de perda de peso guiado por um médico.

Consulte um nutricionista para aprender hábitos alimentares saudáveis e ensiná-los a seu filho. Aliás, confira o nosso artigo com várias dicas de alimentos saudáveis para crianças.

Certifique-se de que seu filho está comendo uma dieta equilibrada com vitaminas e minerais suficientes.

Incentive seu filho a beber muita água.

Dê ao seu oportunidades de diversão que também garantam exercícios regulares.

Limite o tempo de televisão e vídeo game do seu filho.

Manter lanches saudáveis ​​em casa, com baixo teor de gordura e açúcares. Evite salgadinhos e alimentos gordurosos ou açucarados.

Seja solidário com seu filho

Dietas da moda não são saudáveis ​​para crianças. Uma abordagem muito melhor para crianças com excesso de peso é uma dieta equilibrada, com uma grande variedade de alimentos saudáveis, como vegetais frescos, aves e peixes assados ​​e frutas que são relativamente baixas em calorias, mas têm um alto valor nutritivo.

Enquanto você pode limitar o tamanho das porções, não restrinja severamente a ingestão calórica do seu filho ou você pode arriscar a interferir com o seu crescimento normal.

Não é fácil perder peso, e seu filho vai beneficiar muito de seu apoio e incentivo. Se o seu filho está chateado sobre a mudança de sua dieta, ou está frustrado por maiores padrões de atividade física, ajude-o a voltar à dieta.

Compartilha: