bebê com cólica

Cólicas – Guia Completo sobre Cólica nos Bebês

Cólica é aquele choro inconsolável, que normalmente dura mais de três horas por dia, mais de três dias por semana, por mais de três semanas em um bebê saudável. A maioria dos bebês supera a cólica em torno de 12 a 16 semanas, mas existem alguns casos em que esse período de cólica pode se prolongar.

Especialistas não tem certeza do que exatamente causa as cólicas, ou mesmo de como curá-la definitivamente. A condição cerca de 20% dos bebês (ou seja, um em cada cinco bebês) e geralmente começam quando eles estão entre a segunda e a quarta semana de idade. Alguns especialistas acreditam que o choro pode estar relacionado a dor intestinal ou o sistema nervoso imaturo. Outras teorias incluem sensibilidades alimentares, alergias ou hipersensibilidade a estímulos externos.

 bebê com cólica

Como saber se meu bebê está com cólica?

O bebê com cólica normalmente apresente os seguintes sintomas:

  • Choro intenso
  • o bebê se encolhe e estica repetidamente enquanto chora,
  • o bebê solta puns enquanto chora.

Pais desesperados tentam qualquer coisa para parar as lágrimas. Mas o que funciona para um bebê pode ter pouco efeito sobre o outro. Mas então o que fazer nesses momentos?

Consulte o médico do seu bebê

Em primeiro lugar, não desista e nem de desespere. Em alguns casos, as cólicas podem ser causados ​​por refluxo ácido, alergia ao leite ou outras condições tratáveis, por exemplo. Por isso é essencial conversar com o médico da criança, ele vai ajudar a entender o que pode estar levando ao choro intenso da criança.

O que pode causar a cólica?

Reação aos alimentos

Mesmo após o nascimento, muito do bebê ainda está por se desenvolver: como o sistema digestivo, por exemplo. Por isso, algumas substâncias contidas nos alimentos podem causar dores e desconforto no momento de serem processadas pelo sistema digestivo da criança.

Para checar se é isso, faça alterações na sua dieta para verificar se o bebê chora menos. O ideal é cortar os alimentos que causam gases na mãe e procurar substituí-los por outros que não causem. 😉 Alguns alimentos conhecidos por ter esse efeito na maioria das pessoas: feijão, couve-flor e outros vegetais crucíferos (como brócolis e repolho), cebola, chocolate, leite e pimenta.

No caso de bebês alimentados com fórmula, pode ser que o sistema digestivo do bebê está tendo problemas para processar algum elemento artificial, levando a cólica. Converse com o pediatra da criança, pois esse poderá passar uma fórmula especial.

Gases

Que atire a primeira pedra o adulto que nunca sofreu com dores relacionadas a gases. Sabe quando comemos muito depressa e logo em seguida passamos horas a fio sentados no frio? Aquela dorzinha no intestino que só alivia depois que vamos ao banheiro pode ser tão ou mais intensa nos bebês.

Para prevenir ou aliviar os sintomas de cólica causada por gases, procure manter a cabeça de seu filho levantada durante a amamentação, seja ela feita com mamadeira ou no peito – dessa maneira você evita que a criança engula ar enquanto está mamando. Outra estratégia que ajuda a prevenir gases é justamente colocar o bebê para arrotar depois de cada mamada.

Assim como nos adultos, o uso de bolsas de água quente na barriga podem ajudar os sintomas. Mas é necessário ter cuidados extras: como a pele do bebê é mais delicada e o bebê mais sensível as temperaturas, será necessário tomar cuidado com a temperatura da bolsa. Outra técnica que pode ajudar bastante é colocar a barriga do bebê em contato com a sua própria barriga.

E se não for cólica?

Em muitos casos, o sistema nervoso ainda não está preparado para receber muitos estímulos, e o bebê pode ficar agitado e desconfortável. Para saber se esse é o problema, procure segurar o bebê no colo de maneira bem firme, enrolado em uma manta fina. Tente levar o bebê para um ambiente com pouca luz e barulho e com poucos estímulos visuais.

Aprenda fazer sapatinhos de bebê para economizar e até para vender para outras mamães.

E você? O que faz quando o bebê está sofrendo com as cólicas? Segue algumas das dicas que falamos aqui ou tem outra dica bem legal para compartilhar com as nossas leitoras?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *