Diferentes tipos de parto – Aprenda sobre todos os métodos

Hora do Parto. Na fase final da gravidez geralmente a grávida é tomada por grande ansiedade, diante disso surgem às preocupações quanto ao nascimento do bebê, ansiedade e medo se misturam, até porque durante a gravidez, muitas histórias são contadas por aquelas que já passaram por essa experiência.

tipos de parto

O mais importante é ir para o parto tranqüila e segura quanto ao método escolhido, por isso nada melhor que conversar abertamente com seu obstetra, pois decidir como seu bebê virá ao mundo nem sempre será tarefa sua.

Quais são os tipos de parto para mulheres grávidas?

Existem vários tipos de parto, porém os mais conhecidos e freqüentemente realizados são os partos normais e cesáreas, como informação nunca é demais, conheça os vários tipos de parto com suas vantagens e desvantagens para que possa estar segura quanto à melhor opção.

Como é o parto normal?

PARTO NORMAL: Apesar de temido por muitas grávidas, tanto pela dor e pela extrema quantidade de problemas que podem ocorrer durante o parto, hoje se utilizam inúmeras técnicas de anestesia peridural e também a episiotomia, que é um corte controlado feito durante o procedimento do parto pelo obstetra no períneo para facilitar a saída do bebê, realizado só se o espaço for insuficiente.

Já existem estudos suficientes e comprovados que o parto normal é o mais indicado caso a mãe não tenha uma gravidez de risco e não exista risco para o bebê.

Toda a contração do útero e as dores do parto são uma preparação para a saída do bebê, então é o que se mais se aproxima de um parto natural, e como dissemos acima, por ser um parto realizado em um hospital, existem medicações e procedimentos suficientes para garantir que o parto normal seja algo suportável e seguro em relação à sua saúde e do bebê.

Quando a grávida chega ao hospital são feitas alguns exames bem simples, como pressão arterial, glicemia, batimentos cardíacos e podem já colar um soro na veia.

A recomendação do parto normal será feita pelo seu médico e mesmo você querendo ter um parto normal, no dia do parto, caso aconteça algum imprevisto, você poderá ser submetida à um parto tipo cesária se necessário.

Por que dizem que o parto normal é melhor?

O primeiro fator, é que você não vai passar por uma cirurgia, já que na cesária é realizado um corte na sua barriga para a saída do bebê. Além do desconforto do corte, podem acontecer infecções e também a recuperação da mãe é mais lenta. Para o bebê, pesquisas indicam que existe a relação entre parto normal e menor índice de problemas respiratórios após o parto.

Parto com fórceps? O que é isso? Parece perigoso…

Quando existe alguma emergência no parto, o fórceps pode ser utilizado. É um instrumento cirúrgico que ajuda a segura a cabeça do bebê e puxá-lo. Por ser muito mais agressivo, podem acontecer danos para o períneo da mulher, que é a região muscular entre a vagina e o anus. Esses dados podem provocar problemas na bexiga e também para fazer cocô. Após um parto com fórceps, você pode precisar fazer fisioterapia especializada para a região do períneo para reestabelecer a sua função.

Para o bebê, podem acontecer danos na cabeça e na face.

E se eu precisar de uma cesária? Como é o parto?

De alguns anos pra cá este pensamento vem mudando, mas é o preferido das mulheres grávidas por menos doloroso e programável, mas originalmente é recomendado somente em casos onde a mãe tem algum problema que possa gerar risco ao bebê como diabetes gestacional ou quando o bebê está em uma posição complicada na hora do parto. Também claro, se não houver dilatação pélvica suficiente.

No parto por cesária, o corte é realizado na região um pouco acima dos pelos pubianos e se uma anestesia ráqui ou peridural. Em alguns casos específicos, pode ser necessário uma anestesia geral, mas somente em casos mais graves.

As camadas de pele e gordura são cortadas até se chegar ao útero, este procedimento não é acompanhado pela mãe. Após a retirada do bebê, é retirada toda a placenta e o corte é fechado com pontos.

A recuperação desse tipo de parto é mais lenta, ainda mais depois de ter um filho. Pode demorar até 30 dias para uma completa recuperação, cicatrização e para passar as dores no local. É importante limpar bem o local do corte para evitar infecção e também tomar cuidado para os pontos não se abrirem. No caso de mães que tem cicatrização ruim, é importante perguntar ao seu médico e também para uma dermatologista sobre pomadas que auxiliam na cicatrização, evitando a formação de quelóides. Também é muito comum que depois do parto, seja recomendada a cinta pós-parto, que vai ajudar a colocar tudo no lugar após o longo tempo da gestação. No parto pode cesária, ela pode incomodar um pouco, devido aos cortes, mas não deixe de usar caso seu médico recomende.

Nova moda, parto humanizado

Você sabe o que é o parto humanizado? É uma nova alternativa de parto, que vem se popularizando a cada dia entre as grávidas é o parto humanizado.

Como o parto humanizado funciona?

Ele é realizado fora do ambiente hospitalar, por parteiras que conhecem técnicas de parto que amenizam a dor e garantem que o nascimento do bebê seja tranquilo. São acompanhadas as contrações e são feitos diversos movimentos que estimulam a saída do bebê. É bem parecido com o parto normal. Claro que não é recomendado caso exista algum tipo de risco para a mãe e o bebê.

Que tipo de parto escolher?

Entre a cesárea e o parto normal existem diversas diferenças. Cada tipo de parto tem suas vantagens e desvantagens, você sabe cada uma delas?

O parto por cesárea é um procedimento cirúrgico realizado em grávidas com o objetivo de retirar o bebê. Nesse procedimento, é realizado um corte na pele, transversal e com cerca de 8 a 10 centímetros, o suficiente para a passagem do bebê.

O corte realizado deve ser fechado com pontos e a recuperação desse tipo de parto é um pouco mais complicada, pois vai doer nos primeiros dias após a cirurgia, mesmo com os menores movimentos do seu corpo.

O procedimento cirúrgico é indolor para a mulher, pois é aplicada a anestesia que deixará toda a parte inferior do seu corpo sem sensibilidade, a cesariana não é realizada sem anestesia.

O parto por cesárea pode ser uma opção da gestante ou uma opção médica, se oferecer risco no parto para a mãe ou para o bebê, que podem ser problemas de posicionamento do bebê, condições físicas da mãe ou qualquer outro fator médico indicado.

O parto normal ou vaginal é claramente mais vantajoso do que o parto por cesárea, já que a recuperação da mulher é muito mais rápida e praticamente não existem riscos de infeções, pois não existe o gane corte no abdomen como na cesariana.

Muitas mulheres se enganam achando que o parto normal é dolorido e cansativo, mas é um procedimento muito comum usar uma anestesia peridural, que vai ajudar à aliviar as dores do parto.

Durante o procedimento do parto normal, se o espaço da passagem do bebê não for suficiente, pode ser necessária a realização da episotomia, que é um corte de tamanho controlado para facilitar a saída do bebê. Também pode ser necessário a utilização do fórceps, que são ferramentas para segurar e puxar o bebê para fora do útero quando for necessário o procedimento.

Aprenda fazer sapatinhos de bebê para economizar e até para vender para outras mamães.

Agora que você já conhece todos os diferentes tipos de parto que podem ser realizados, qual você vai escolher? Conte pra gente nos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *