Arquivo da tag: Gestação

Aborto Espontâneo – O que realmente você precisa saber

Compartilha:

Apesar de ser mais comum do que se imagina, o aborto espontâneo ainda é visto como algo problemático, pois muitas vezes acaba com muitos planos, sonhos e esperanças.

Mas se você está passando por isso, não importa a causa, é importante você saber que realmente ele é muito comum.

Alguns pesquisadores chegam a falar que a taxa de aborto é tão frequente que chega à 40%, já que pode acontecer um aborto e você nem saber que estava grávida anteriormente. Nos casos em que a mulher já sabia da gravidez, o índice também não é pequeno, 15% ou aproximadamente 1 em cada 6 mulheres passam por um aborto espontâneo em suas tentativas de engravidar.

Continue lendo

Compartilha:

O que é Normal e o que não é na Gravidez

Compartilha:

Pode? É normal? É verdade?

A gravidez traz diversas sensações (e acredite, será assim as 40 semanas), cada fase tem suas emoções, sentimentos até contraditórios, hormônios enlouquecidos (que ficam alterados nesse período), e ainda surgem dúvidas pontuais, algumas delas vêm do tempo de nossas avós, como por exemplo, verdade que cerveja preta aumenta o leite? Conheça as principais respostas aos dilemas mais comuns.

Continue lendo

Compartilha:

Perigos e Problemas no Parto Prematuro

Compartilha:

Um dos grandes medos presentes entre as grávidas é o risco de sofrer um parto prematuro.
Por isso hoje vamos entender porque acontecem os partos prematuros e o que fazer para evita-los.

Para começar vamos conhecer quais são os tipos de partos que existem:

O parto normal – que acontece após o tempo esperado de gestação, entre a 37º e a 42º semana.
O parto prematuro – que acontece fora do tempo esperado, antes da 36º semana de gestação.

No parto prematuro os órgãos do bebê e as suas capacidades ainda não estão totalmente desenvolvidas. Por isso, é necessário que ele fique um tempo na incubadora, recebendo ajuda para respirar e para se amamentar.

Mas então como evitar que o meu bebê sofra um parto prematuro?

Há alguns cuidados que devem ser tomados para evitar que isso aconteça. Dentre elas está:

O pré-natal

Muitas mulheres ignoram a importância do pré-natal e acabam sofrendo problemas completamente evitáveis, se feito o acompanhamento médico. Por isso, quanto mais rápido começar o pré-natal melhor é, para a saúde da gestante e do bebê.

Os exercícios físicos

A prática de atividades físicas (leves) durante a gravidez ajuda a reduzir os níveis de estresse e de ansiedade, que são fatores propícios para o acontecimento do parto prematuro. As atividades mais indicadas para as gestantes são a caminhada, a natação e a hidroginástica.

A alimentação da gestante

Nesta etapa da vida, a atenção e os cuidados com a alimentação devem ser redobrados! Procure montar uma dieta balanceada, com frutas, verduras e carboidratos também. Procure a orientação do seu médico ou de um nutricionista para uma avaliação e orientação específica.

Vícios

Evite os vícios mais perigosos como o cigarro, as bebidas alcoólicas e as drogas. Eles, além de colocar em risco a sua saúde e a do bebê, ainda aumentam as chances de ocorrer um parto prematuro.

Ou seja, ter uma vida saudável é o que mais favorece para uma vida saudável para o bebê, mesmo antes dele nascer. Todas as orientações médicas devem ser seguidas, principalmente em relação aos exames pré-natal, pois através deles podem ser observados vários aspectos da saúde do bebê.

Existem também os casos de gravidez de risco, onde as chances de parto prematuro é maior, de acordo com a doença ou situação médica da mãe. Em alguns casos, é possível “segurar” o bebê dentro da barriga através de medicamentos para reduzir as contrações, mas isso varia de caso para caso e somente um médico pode te assegurar o melhor método de tratamento.

Aos primeiros sinais do trabalho de parto, como rompimento da bolsa e contrações mais fortes, é necessário ir para maternidade receber a assistência correta, pois mesmo que o bebê nasça prematuramente, hoje os hospitais tem uma grande chance de salvar seu bebê caso ele resolva nascer antes da hora. Os métodos mais tradicionais incluem a clássica incubadora, que contribui para deixar o bebê com a temperatura certa, o método kanguru, onde o bebê fica preso à mãe por uma espécie de sling e claro, o acompanhamento médico intensivo.

Compartilha:

Como Evitar e Tratar a Anemia Durante a Gestação

Compartilha:

A anemia na gravidez pode ser confundida com os próprios sintomas da gestação, mas é importante que seja diagnosticada para evitar consequências ruins durante a gestação.

Sintomas que podem ser de anemia:

  • cansaço
  • tonturas
  • queda de cabelo
  • dores de cabeça
  • dores nas pernas
  • falta de apetite
  • falta de concentração

Em termos simples, a anemia acontece quando você está com poucas hemácias no sangue, que são as células que são responsáveis por levar o oxigênio para todo o seu corpo.

A causa da anemia é a falta de ferro no sangue, que é muito comum em alimentos como verduras de folhas escuras, carne vermelha, frutos do mar e feijão, mas pode estar associada também à falta de outras vitaminas e minerais.

A melhor forma de saber se você tem anemia ou não é através do exame de sangue, que você pode fazer mesmo antes de engravidar e repetí-lo assim que souber que está grávida, para saber se precisará fazer alguma reposição com suplementos à base de ferro. A anemia leve pode não causar nenhum sintoma, por isso é importante ficar atenta e fazer todos os exames recomendados no pré-natal.

Antes que você se pergunte, a sua anemia não afeta o bebê, pois ele vai retirar todo o ferro que precisa para crescer, deixando você com essa deficiência. Então por isso é importante fazer a suplementação de ferro caso a anemia seja confirmada.

Outro aliado para combater a anemia é a vitamina C, que ajuda a absorção do ferro, então você deve colocar uma fruta cítrica ou um suco de laranja também no seu cardápio e na sua rotina alimentar para garantir uma gestação saudável e com o crescimento esperado do seu bebê.

E mesmo que você não tenha amenia, as orientações médicas indicam que a suplementação de ferro seja feita mesma em mães saudáveis à partir do segundo semestre, então você tomará o ferro através de comprimidos diariamente.

Compartilha: